cattle, pasture, cow

Pecuária

O gado criado nas fazendas é uma parte importante da agricultura da região. Porque o gado fornece carne para consumo humano e animal. Mas eles também fornecem materiais, como couro e lã, para roupas, móveis e outras indústrias.


O que é pecuária?

A pecuária é a prática de criar rebanhos de animais em grandes extensões de terra. Portanto os pecuaristas geralmente criam animais de pasto, como gado e ovelha. Mas alguns fazendeiros também criam alces, bisontes, avestruzes, emas e alpacas. Então a indústria pecuária está crescendo mais rapidamente do que qualquer outro setor agrícola do mundo.

Regiões de Pecuária

A pecuária é comum em áreas temperadas e secas, como a região dos Pampas, oeste dos Estados Unidos, províncias da pradaria no Canadá e do interior australiano. Portanto nestas regiões, os animais em pastagem são capazes de percorrer grandes áreas. Mas existem também, algumas fazendas australianas, conhecidas como estações, se estendem por mais de 10.000 quilômetros quadrados (3.861 milhas quadradas). No entanto, a maior, a estação Anna Creek, cobre quase 24.000 quilômetros quadrados (9.266 milhas quadradas).

Os vaqueiros são responsáveis ​​por pastorear e manter a saúde dos animais nessas vastas fazendas. Portanto, os vaqueiros costumam trabalhar com cavalos para pastorear gado e ovelha. A cultura pecuária é uma parte importante da identidade das regiões de criação. No México, os vaqueiros são conhecidos como vaqueros. Na Austrália e Nova Zelândia, eles são chamados de jackaroos. Pastoreio, agrupamento, movimentação e marcação muitas vezes simbolizam a pecuária e a cultura.

A criação de animais é a prática de cuidar de grupos de animais percorrendo uma grande área. Portanto, fazendeiros e vaqueiros costumam reunir animais em áreas de pastagem favoráveis. A criação de gado também envolve manter o rebanho a salvo de predadores e perigos naturais.

Agrupamento

Um agrupamento é uma reunião de todos os animais de uma fazenda. Portanto um agrupamento é geralmente realizado por vaqueiros a cavalo, quadriciclo ou outro veículo. Então, isso pode ser feito por uma ampla variedade de razões: cuidados de saúde (como vacinas de imunização) para os animais, marca ou tosa de ovelhas.

Um agrupamento é uma das responsabilidades mais difíceis de fazendeiros e vaqueiros. Pois os animais geralmente não querem ser reunidos em uma pequena área confinada. Então mesmo o gado ou ovelha mais dócil provavelmente se tornará agressivo durante um agrupamento. Os agrupamentos também envolvem um grande número de funcionários da fazenda realizando tarefas diferentes ao mesmo tempo:o veterinário administra os cuidados com os animais, os vaqueiros movimentam os animais e cuidam dos cavalos dos ranchos.

Movimentação

A movimentação de gado é um grande esforço para mover um rebanho de um lugar para outro. Portanto nas décadas de 1700 e 1800, os vaqueiros a cavalo levavam um ano ou mais para conduzir o gado por milhares de quilômetros. Pois as estradas boiadeiras começam em fazendas e geralmente terminam perto dos pontos das principais rotas de transporte, como um porto ou uma rodovia. Depois, o gado é carregado em veículos e enviado para o matadouro.

Marcação

Marcação é o processo de marcar permanente um animal para indicar propriedade. No entanto, a marca tradicional é conhecida como marca quente. Onde um fazendeiro ou vaqueiro aquece um instrumento de ferro com um design exclusivo para o seu rancho. Portanto cada animal pertencente a essa fazenda tem o desenho queimado em sua pele. Então a cicatriz deixada pela queimadura é a marca dos animais.

Marcas quentes são usadas com menos frequência em fazendas modernas. Entretanto marcas de orelha e tatuagens de tinta são mais comuns. Muitos fazendeiros usam microchips em vez de marcas. Um microchip é implantado sob a pele do animal. O microchip usa identificação por radiofrequência para identificar não apenas o proprietário dos animais, mas também para transmitir informações sobre sua localização e saúde.

Pecuária e Turismo

Algumas fazendas, apelidadas de hotéis fazenda, oferecem instalações turísticas. Alguns desses locais são fazendas que permitem aos hóspedes ajudar em atividades reais de criação. Mas outros se concentram em passeios a cavalo, oferecendo aulas e passeios em trilhas. Por outro lado, as fazendas do resort oferecem uma experiência mais relaxante, com atividades divertidas, como passeios em trilhas e cantar junto.

História da pecuária

As pessoas criavam gado durante a Idade Média, mas geralmente apenas em pequeno número em pequenas áreas de terra. A prática de criar grandes rebanhos de gado em extensas pastagens começou na Espanha e Portugal por volta de 1000 dC. Esses primeiros pecuaristas usavam métodos ainda hoje associados à pecuária, como o uso de cavalos para pastoreio, agrupamentos, movimentação de gado e marcação.

A criação de gado só foi firmemente estabelecida no Novo Mundo das Américas. Quando os primeiros exploradores espanhóis chegaram às Américas, pois eles trouxeram consigo gado e experiência em criação de gado. Uma variedade de tradições pecuárias se desenvolveu nas Américas, dependendo da região de onde os colonos vieram e das características da terra onde se estabeleceram.

Gaúchos são vaqueiros das pastagens (ou Pampas) da Argentina, Brasil e Uruguai. No México Central, particularmente no estado de Jalisco, os vaqueiros são chamados charros, como os charros de Castela, na Espanha, que estabeleceram a região. No norte do México, fazendeiros ricos, conhecidos como caballeros contratam vaqueros para conduzir seu gado. A pecuária no oeste dos Estados Unidos é derivada da cultura do vaquero mexicano.

Mudança na pecuária

Durante a maior parte do século XIX, fazendeiros soltavam seu gado e ovelhas para percorrer a pradaria. Mas a maior parte das terras eram de propriedade do governo. Portanto os fazendeiros possuíam apenas terra suficiente para uma fazenda e fontes de água. Então, duas vezes por ano, os vaqueiros reuniam o gado para marcar bezerros e recolher bois para venda.

Vários fatores contribuíram para o fim desta pratica. Como por exemplo a invenção do arame farpado em 1874. Os agricultores começaram a cercar seus campos para protegê-los de serem destruídos pelo gado. Portanto este acesso limitado a pastagens levou agricultores e pecuaristas muitas vezes a entrarem em conflito por direitos à terra e à água.

O excesso de pasto também foi um problema. À medida que mais e mais fazendeiros pastavam seus animais em campo aberto, a qualidade da terra se deteriorava. Pois o gado não é nativo das Américas e teve que competir com animais de pastagem nativos na busca de alimento. As gramíneas não tiveram tempo de crescer em campo aberto, principalmente no inverno.

O inverno de 1886-87, um dos mais severos já registrados, matou centenas de milhares de bovinos. Primeiramente, muitas grandes fazendas e cooperativas de gado faliram. Posteriormente, os fazendeiros começaram a cercar suas terras, que muitas vezes arrendavam.

Nos filmes de velho oeste, fazendeiros e vaqueiros são interpretados principalmente por homens brancos como Gene Autry, John Wayne e Clint Eastwood. No entanto, nos anos 1800, mais de um terço de todos os cowboys nos Estados Unidos eram vaqueros mexicanos. Outros eram chineses ou filipinos. Os afro-americanos, buscando maior liberdade no Ocidente, também trabalharam como vaqueiros e fazendeiros durante esse período.

Animais de trabalho

As fazendas incluem outros animais que não os rebanhos. Estes animais ajudam no trabalho de pastorear e reunir os rebanhos.

Os cavalos são talvez o animal de trabalho mais familiar nas fazendas. Se você imagina um vaqueiro, provavelmente o imagina sentado em um cavalo. Os cavalos permitem que os vaqueiros viajem rapidamente pelas pastagens e acompanhem o gado em movimento. Os cavalos também são fortes e receptivos, tornando-os excelentes animais de pastoreio.

O esporte do rodeio se desenvolveu a partir das habilidades exigidas dos vaqueiros e cavalos da fazenda. Competições informais entre fazendeiros e vaqueiros testaram sua velocidade, agilidade e resistência. Hoje, eventos como laço, corridas de três tambores e touradas demonstram essas mesmas qualidades entre os atletas profissionais.

Os cães também são comuns em fazendas. Vários tipos de cães foram criados por suas habilidades de pastoreio. Muitos desses animais ágeis e altamente inteligentes são chamados simplesmente de pastores, pastor australiano e pastor alemão são provavelmente os mais familiares. Collies e outros cães também são usados ​​em fazendas. Cães de guarda não rebanham animais, mas são usados ​​para proteger os rebanhos de predadores. Por exemplo, o cão de montanha dos Pirenéus foi criado para proteger animais de pastagem de lobos e outros predadores nativos das montanhas dos Pirenéus na Espanha e na França.

Fazendas ao redor do mundo

Hoje, existem fazendas em todos os continentes, exceto na Antártica. A América do Sul desfruta de uma enorme cultura pecuária. A maior empresa produtora de carne bovina do mundo é a JBS-Friboi.

A indústria pecuária sul-americana continua a crescer. Muitos países da América do Sul, liderados por Brasil e Argentina, estão se desenvolvendo rapidamente. A crescente classe média expandiu o mercado de carne bovina. Argentina e Uruguai são os principais consumidores de carne bovina do mundo.

Na Austrália, como nas Américas, a pecuária é um modo de vida e uma parte forte da economia. Um jackaroo típico ou jillaroo (mulher) é um vaqueiro jovem e sazonal. As estações podem empregar seus próprios veterinários, mecânicos e engenheiros.

As estações de ovinos são mais comuns que as estações de gado na Austrália. O difícil processo anual de tosa de ovinos é um símbolo da cultura pecuária australiana. Uma equipe ou empresa de cisalhamento geralmente se desloca de fazenda em fazenda com equipamentos e máquinas especializados de cisalhamento.

A criação de gado em larga escala é rara na Ásia, mas bastante comum em todas as ilhas do Pacífico Sul. No estado americano do Havaí, a cultura dos vaqueiros nasceu quando os vaqueros mexicanos foram trazidos para ajudar a rebanhar o gado na década de 1830, vaqueiros no Havaí são chamados paniolos.

Na Europa, existem poucas fazendas fora da Espanha e Portugal. A maioria dos países da Europa é pequeno demais para possuir fazendas. De fato, a estação autraliana Anna Creek é apenas um pouco menor que toda a nação da Bélgica.

Pecuária e meio ambiente

A pecuária é uma maneira eficiente de criar gado para fornecer carne, laticínios e matérias-primas para os tecidos. É uma parte vital das economias e do desenvolvimento rural em todo o mundo. No entanto, a indústria pecuária tem efeitos perturbadores importantes sobre o meio ambiente.

A pecuária expandiu-se além das pastagens para as florestas tropicais. Fazendeiros desmatam grandes faixas de floresta para criar pastagens para seu gado. O que reduz o habitat de espécies nativas não encontradas em nenhum outro lugar do mundo. Nos últimos 40 anos, cerca de 20% da floresta amazônica foi derrubada, grande parte dela para criação de gado.

Fazendas estabelecidas em antigas florestas tropicais geralmente não são economicamente produtivas. As áreas desmatadas de florestas tropicais geralmente produzem pastagens pobres. A biodiversidade das florestas tropicais existe em seu camada acima do solo, e não em baixo da terra. As gramíneas não prosperam no solo fino e pobre em nutrientes. Mesmo fora da floresta tropical, muitas práticas de pecuária têm efeitos significativos no meio ambiente.

O excesso de pasto, uma ameaça em todas as grandes planícies dos Estados Unidos e Canadá, coloca em risco o ecossistema nativo da pradaria de capim alto. Isso pode levar à erosão do solo. A perda de solo superficial valioso pode reduzir a produtividade agrícola de culturas e pastagens. As más práticas agrícolas contribuíram para uma grande tempestade de areia nos anos 30, que destruiu centenas de fazendas nas grandes planícies.

Pecuária e clima

A compactação do solo a partir de cascos de animais degrada ainda mais a terra. Isso é único para as espécies introduzidas. Os animais nativos das Américas tem cascos pequenos, afiados e pontiagudos. A estampagem deles areja o solo e realmente contribui para o ecossistema da pradaria. O gado possui cascos pesados ​​e planos que achatam o solo e reduzem sua capacidade de absorver água e nutrientes.

Terras secas estão especialmente expostas ao risco de excesso de pastagem e redução na qualidade do solo. De fato, a pecuária pode ser uma das principais causas da desertificação.

A pecuária também contribui para a poluição do ar e da água. O esgoto das fazendas pode incluir esterco, antibióticos e hormônios administrados aos animais, além de fertilizantes e pesticidas.

A pecuária também é um dos principais contribuintes para o aquecimento global. De fato, o gado é responsável por mais emissões de gases de efeito estufa do que os meios de transporte. O carbono é liberado quando as florestas são desmatadas para pastagens. O estrume produz óxido nitroso, que tem 296 vezes o potencial de aquecimento do dióxido de carbono. O gado libera grandes quantidades de metano de seu sistema digestivo.

Cientistas, governos e pecuaristas estão trabalhando juntos para encontrar maneiras de reduzir esses problemas e tornar a pecuária uma atividade econômica sustentável.

cows, cow herd, pasture

Fonte: National Geographic

Comente sobre o artigo