Tião Carreiro

Tião Carreiro

José Dias Nunes, conhecido como Tião Carreiro (Monte Azul, 13 de dezembro de 1934 – São Paulo, 15 de outubro de 1993) foi um cantor e instrumentista brasileiro de música sertaneja de raiz que influenciou muitas duplas com o seu estilo. Tião Carreiro foi o precursor do “Pagode”, ritmo que ousou em criar com base na viola e em seu ponteado. As letras de seu pagode contemplam a magia da vida na roça e na labuta caipira.


Carreira

José Dias Nunes trabalhava como garçom no restaurante do Hotel do Manoel Padeiro, onde, nas horas vagas, cantava músicas populares e sambas da época. Entretanto, aos domingos, participava do programa “Assim canta o sertão”, da rádio transmissora de Valparaíso/SP. Primeiramente, formou dupla com o primo Valdomiro e se apresentavam no circo Giglio, com os nomes de Zezinho e Lenço Verde. Mas, também formou outras duplas: Palmeirinha e Coqueirinho, Palmeirinha e Tietezinho e Zé Mineiro e Tietezinho.

O proprietário do circo onde José Dias tocava na época disse a ele que uma dupla tinha que tocar viola, e ele tocava violão. Então, no mesmo ano, na cidade de Araçatuba/SP, apresentaram-se Tonico e Tinoco, a dupla Coração do Brasil. Enquanto Tinoco descansava no hotel antes do show, José Dias pegou a viola deixada pela dupla “Coração do Brasil” no circo, decorou a afinação e começou a se aperfeiçoar naquele instrumento que marcara sua infância que o faria imortal. Logo em seguida, ganhou uma violinha de presente, pintada à mão pelo pintor Romeu de Araçatuba.

A partir daí, inspirando-se num dos melhores violeiros da época, Florêncio, da dupla Torres e Florêncio, foi seguindo em frente, trilhando seu caminho.

Fama

José Dias conheceu Pardinho, seu principal companheiro, no circo Rapa Rapa, na cidade de Pirajuí/SP. Pardinho era ajudante braçal e cantava nas horas de folga. Portanto, passaram a cantar juntos com os nomes de Zé Mineiro e Pardinho. Então, dois anos depois, a convite de Carreirinho, mudaram-se para São Paulo, era maio de 1956.

Tião Carreiro foi o inventor do ritmo Pagode de viola. Seu primeiro pagode foi a música Pagode em Brasilia, feita em homenagem ao então presidente Juscelino Kubitschek. Portanto, o Pagode de viola foi um dos principais pilares do sucesso de Tião Carreiro, em todas as duplas de sua carreira há pelo menos uma gravação de uma música nesse ritmo. Carreirinho, Paraíso, Pardinho e Praiano, foram alguns de seus parceiros durante a vida artística.

Mas, fez história ao lado da Excelência da Primeira voz, Pardinho.

Morte

A família foi pega de surpresa quando Tião anunciou o problema, apenas alguns dias antes de seu transplante de Rim onde sua esposa Nair Avanço Dias já tinha providenciado todo atendimento necessário, morreu em 15 de outubro de 1993 aos 58 anos. Tião também tinha complicações da diabetes.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

.

Comente sobre o artigo